Guia da Obra

Tudo sobre Construção e Reforma




Dicas para estudantes de arquitetura e urbanismo ingressarem no mercado de trabalho

EstagiárioSem dúvidas uma das maiores dificuldades dos estudantes prestes a se formarem é a busca por uma colocação no mercado de trabalho, principalmente uma vaga de estágio, no entanto, para isso, o maior obstáculo encontrado é a falta de experiência profissional.

Com isso, encontramos um paradoxo, afinal, os estudantes que se candidatam a uma vaga de estágio muitas vezes nunca trabalhou na área escolhida, porém, não há como ter a experiência exigida pelo mercado de trabalho sem que haja uma primeira oportunidade de estágio.

Logo, é fundamental investir na formação acadêmica não esquecendo-se de também conhecer a diversidade cultural e patrimonial que esteja acessível.

Neste artigo vamos apresentar dicas que servirão como orientação para os estudantes em geral mas principalmente aos que cursam arquitetura e urbanismo, com o objetivo de incrementar seu currículo e colaborar para o sucesso em processos seletivos de emprego.

Networking

Em nosso ponto de vista a melhor definição da palavra em inglês Networking seria o desenvolvimento de uma rede de contatos. Esta rede de contatos servirá para o seu marketing pessoal cujo a eficiência defenderá diretamente de uma comunicação autêntica, de uma postura proativa e da habilidade de cultivar bons relacionamentos interpessoais.

Com a habilidade de criar e gerir sua networking, principalmente com contatos do seu meio de atuação, ela funcionará como um sistema de colaboração mútua de compartilhamento de serviços e de informações entre indivíduos que têm interesses em comum, assim, você poderá ficar sabendo de uma de vaga de estágio por meio de um colega da sua rede de contatos, por exemplo.

Networking

Uma ótima forma de ter uma rede de contatos ligada à sua área de atuação é participar de grupos de redes sociais vinculadas às áreas de interesse e também manter contato regular com as pessoas que possam contribuir com o seu desenvolvimento profissional e pessoal.

Participar de fóruns na internet sobre a sua área de atuação, como fóruns de arquitetura e urbanismo ou de construção civil, também é uma forma de ampliar sua rede de contatos, onde você poderá postar dicas ou responder a tópicos de dúvidas de terceiros através do seu conhecimento na área. Lembre-se que ajudar e ser ajudado é uma experiência gratificante, que resulta em parcerias benéficas para todos os envolvidos.

Trabalhos voluntários

Procure por ONGs (organizações não governamentais) que propõem ações conjuntas com a participação de voluntários e da comunidade do local de intervenção, visando cumprir um objetivo específico (a missão), onde você poderá contribuir nas atividades realizadas que estimulam o trabalho coletivo e a importância de exercer a cidadania.

Trabalho voluntário

Esta é com certeza uma ótima oportunidade para você desenvolver suas habilidades técnicas e ao mesmo tempo conhecer realidades díspares, além de contribuir para transformação do espaço e das pessoas que ali vivem.

Grupo de estudos

A maior parte dos cursos de nível superior possuem grupos de estudos e no curso de arquitetura e urbanismo não é diferente. Procure ingressar num grupo de estudos e frequente as reuniões para discutir sobre temas atuais e/ou pertinentes à sua área de atuação. Neste grupo, podem também ser promovidas sessões de documentários ou filmes que retratam as problemáticas e realidades do universo arquitetônico.

Grupo de estudos

Se no seu curso ainda não houver um grupo de estudos, veja a com os seus colegas a possibilidade da criação de um grupo e não deixe de conversar com o corpo docente do seu curso e solicite o apoio dos professores para que possam sugerir referências de leituras e indicação de filmes/ documentários relacionados com as disciplinas ministradas por eles.

Para o sucesso do grupo é fundamental que haja a troca de informações e opiniões com os colegas para que o grupo contribua diretamente na formação do senso crítico dos profissionais que serão formados no curso.

Cursos complementares

Se você procura se destacar profissionalmente, apenas frequentar as aulas de graduação não será o suficiente. Você precisará complementar seu aprendizado através de cursos específicos relacionados às suas áreas de interesse, além de constantemente participar de cursos para manter-se atualizado. Você pode optar por instituições públicas e privadas e ingressar em cursos técnicos de curta duração e até à distância (EAD – Ensino à Distância).

Cursos complementares

Após formado, você também poderá optar por frequentar cursos de pós-graduação e especializar-se em determinadas áreas relacionadas à arquitetura. Em um curso de pós-graduação em arquitetura, você poderá concentrar-se em áreas como:

  • Tecnologia da Arquitetura;
  • História e Fundamentos da Arquitetura e Urbanismo;
  • Design e Arquitetura;
  • Paisagem e Ambiente;
  • Projeto, Espaço e Cultura;
  • Habitat;
  • Projeto da Arquitetura;
  • Planejamento Urbano e Regional.

Eventos na área

Agenda de EventosPara não ficar por fora de novas tendências, técnicas e tecnologias, além de cursos complementares ou de pós-graduação é muito importante participar de eventos do setor de arquitetura e urbanismo, ou ainda, de design, paisagismo e construção civil mesmo.

 

Procure manter uma agenda atualizada com as datas dos principais eventos do setor e sempre que possível, participe de feiras, fóruns, simpósios, congressos, além de mesas redondas e encontros regionais, nacionais e até internacionais de estudantes de arquitetura e urbanismo, por exemplo.

Se não puder visitar e participar pessoalmente, tente se inteirar dos temas abordados nos eventos e procure saber mais sobre eles.

Concursos estudantis

Para participar de um concurso é preciso atender plenamente a todas as exigências dispostas no edital, cujo trabalho será avaliado por um júri habilitado e capacitado tecnicamente. É fundamental que o projeto seja apresentado na formatação solicitada, pois qualquer não atendimento implica na sua desclassificação.

Concurso estudantil

Ainda que seu projeto não seja premiado, toda essa experiência é válida, pois exige de você, candidato, muita atenção, disciplina, trabalho em equipe e organização para que sejam cumpridas todas as etapas. Além disso, o projeto desenvolvido pode ser incluído em seu portfólio e também mencionado em seu currículo.

Referências arquitetônicas

É muito importante estar constantemente ampliando seu repertório de projetos, para isso, é importante pesquisar sobre os projetos arquitetônicos e urbanísticos que foram ou são relevantes para a sociedade.

Se você tiver a oportunidade de visitar pessoalmente os locais de estudo, terá uma experiência insubstituível na sua formação como arquiteto urbanista, lembre-se disso, pois poderá vivenciar o lugar e estimular seus sentidos, sentir odores, ruídos, sabores, texturas e paisagens distintas, tudo isso ao mesmo tempo. Também é importante frisar que você poderá observar as pessoas interagindo com o espaço projetado, permitindo à você desenvolver uma análise crítica sobre o seu papel como arquiteto na tomada de decisões acerca de um projeto, com base nesta experiência adquirida.

Referências arquitetônicas

É claro que quando se estuda num curso que exige muita dedicação nem sempre sobra tempo para viajar, mas mesmo assim, procure em suas horas vagas conhecer um pouco mais da história e as referências arquitetônicas da sua própria cidade ou mesmo do seu bairro. Lembre-se que há diversos lugares interessantes para visitar e em muitos deles o acesso é gratuito.

Não esqueça de levar sempre consigo um caderno de anotações para registrar suas impressões e ideias acerca das construções visitadas. Que tal também fazer uma lista com pontos positivos e pontos negativos do projeto com base na sua experiência como cidadão frequentando o espaço? O que você gostou e vai levar com você para utilizar como referência e o que você reprovou e como faria melhor?

Iniciação científica

A iniciação científica consiste basicamente numa pesquisa acadêmica desenvolvida por alunos de graduação de universidades, geralmente com pouca ou nenhuma experiência em trabalhos de pesquisa científica (daí o termo iniciação).

Iniciação científica

Ao participar de um programa de iniciação científica, em algum grupo de pesquisa da própria instituição em que estuda ou num projeto em conjunto com o professor orientador, você poderá aprofundar-se em um assunto específico ou até, quem sabe, seguir carreira acadêmica.

É possível também, obter bolsas de estudos na modalidade IC (iniciação científica) por meio do envio do currículo lattes e do plano de pesquisa.

Intercâmbio

Independente de sua área de atuação, todo profissional que algum dia já teve a oportunidade de participar de um programa de intercâmbio, sempre terá destaque no mercado de trabalho.

Tal destaque se deve pelos desafios superados durante a experiência do intercâmbio, como conseguir lidar bem com a distância da família e dos amigos; de conseguir aprender os costumes locais; de ter a capacidade de adaptar-se a realidade de um novo país e, acima de tudo, comunicar-se em outro idioma, com a possibilidade de tornar-se fluente em outros idiomas.

Intercâmbio

O estudante ou profissional formado que possui a experiência de já ter vivido em outro país, aprende melhor a trabalhar em equipe e faz novas amizades ampliando sua rede de contatos (lembra-se do Networking que falamos anteriormente?). Devido ao contato com a diversidade cultural de outro país ou outros países e seus povos, amplia sua bagagem profissional por adquirir novos conhecimentos, responsabilidade e independência.

Em contato com a arquitetura de cidades de outros países e com profissionais destes locais, como referências arquitetônicas, poderá enriquecer seu conhecimento adquirindo assim uma experiência única baseada na sua própria interpretação e capacidade de assimilar novas ideias e técnicas que talvez não existam no seu próprio país.

Portfólio

O portfólio nada mais é do que uma lista de todos os trabalhos realizados por um determinado profissional, empresa ou estudante. É através dele que você poderá divulgar seus trabalhos e projetos concluídos, com destaque sempre na qualidade dele, e que serão vistos por potenciais empregadores ou clientes.

Portfólio

No caso dos estudantes, devem planejar suas carreiras e criar um portfólio com os trabalhos já realizados, tanto nas disciplinas quanto em concursos estudantis e trabalhos voluntários aos quais tenha participado.

Preocupe-se em tornar seu portfólio criativo, organizado e padronizado, sendo fundamental destacar a qualidade dos projetos e atualizá-lo sempre.

Conclusão

Com base nas dicas citadas é possível concluir que tanto o estudante de arquitetura quanto o arquiteto formado devem sempre estar em busca de mais conhecimento, tanto técnico quanto cultural, de seu país ou preferencialmente também de outros, mantendo-se sempre atualizado através de viagens e participação de eventos do setor.

De estudante a estagiário

O profissional, em formação ou já formado não deve nunca se contatar apenas com o conhecimento adquirido apenas no curso de arquitetura e urbanismo, mas fundamentalmente deve buscar novas influências e ideias de outros lugares e outros profissionais, claro, sem perder sua própria identidade, porém, enriquecê-la torando-a única no mercado.

Fonte: Este artigo é uma releitura do texto da arquiteta Tarsila Miyazato, Mestre em arquitetura e urbanismo – FAUUSP, publicado no site Arch Daily em 04 de Agosto de 2015.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − quinze =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Líder Locações
Enquetes

O que mais impacta a construção civil?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Conheça também:
Terraplenagem.Net Escavadeira . Net Retroescavadeira . Net