Estudo revela queda na venda de equipamentos para construção

Notícias sobre engenharia, arquitetura e construção civil.
Avatar do usuário
Equipe GdO
Moderador do fórum
Moderador do fórum
Mensagens: 978
Registrado em: 19:02 - Sexta-feira, 26/01/2007
Localização: São Paulo - SP - Brasil
Atividade ou Profissão: Notícias

Estudo revela queda na venda de equipamentos para construção

Mensagem por Equipe GdO » 20:55 - Domingo, 16/11/2014

Venda de equipamentos para construção deve cair 6% em 2014

Segundo Estudo Sobratema do Mercado Brasileiro de Equipamentos para Construção, editado desde 2007, que contempla equipamentos de movimentação de terra, também chamados de "linha amarela", bem como demais equipamentos como gruas, guindastes e plataformas aéreas e ainda uma estimativa dos tratores de roda e caminhões rodoviários demandados pelo setor de construção civil, elaborado pela Sobratema (Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração), lançado nesta quinta-feira (12/11/2014) em São Paulo, a venda de equipamentos de construção deverá apresentar uma queda em 2014 de cerca de 6% em relação a 2013, com 67,7 mil máquinas vendidas contra 72 mil do ano anterior.

A queda na venda de equipamentos para construção pode ser atribuída a alguns fatores como:
  1. Desaceleração da economia brasileira;
  2. Políticas públicas dos investimentos em infraestrutura;
  3. Período eleitoral.
A linha amarela sofrerá uma redução de 12,7% nas vendas em 2014 em relação a 2013, assim como outras categorias, compostas por gruas, guindastes, compressores portáteis, plataformas aéreas, manipuladores telescópicos e tratores de pneus, que apresentam uma estimativa de retração de 14,8%. Os equipamentos com maior percentual de retração em 2014 em comparação com 2013 são as retroescavadeiras / retro-escavadeiras (linha amarela), com uma queda na comercialização de 42,6% em 2014 em comparação com 2013, os guindastes, com 46,3% e as plataformas aéreas, com 24,7%.

Mas também houve resultados positivos, segundo o Estudo de Mercado houve alta na venda de rolos compactadores (13,2%), motoniveladoras (8,3%), e pás-carregadeiras (5,2%), além dos caminhões rodoviários demandados pelo setor da construção (6,8%), sendo que esses três últimos tipos de equipamentos registraram crescimento principalmente em decorrência das encomendas feitas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, repassadas a municípios para utilização em várias obras, como na recuperação de estradas vicinais.

No que diz respeito às importações, o Estudo de Mercado estima que existirá retração. De janeiro a setembro deste ano, as importações chegaram a cair 27% em relação a igual período de 2013. Os fatores que levaram a este resultado são a desaceleração do mercado interno com a desvalorização cambial e a entrada de alguns desses importadores como fabricantes no território nacional.

Projeções até 2019

O Estudo Sobratema do Mercado Brasileiro de Equipamentos para Construção também faz projeções para a venda de máquinas até 2019. A partir de 2016, há otimismo e estimativa de uma retomada no setor, dependendo principalmente dos investimentos em novas obras infraestrutura, bem como o crescimento do próprio setor de construção civil.

Para mais informações sobre o Estudo Sobratema do Mercado Brasileiro de Equipamentos para Construção, acesse: http://www.guiasobratema.org.br
Imagem Imagem Imagem