Guia da Obra

Tudo sobre Construção e Reforma

Construção Sustentável

Construção SustentávelDesde que começamos a notar as mudanças climáticas em nosso planeta em meados do século XX, surgiu à necessidade de pensar em melhorias para evitar a poluição.

As grandes fabricantes de automóveis começaram a pensar em carros com bicombustíveis, carros que além da gasolina possam usar álcool. Mais recentemente existem inúmeros modelos híbridos e também modelos completamente movidos à energia elétrica.

E na área da construção civil? Mais especificamente na área de arquitetura? É possível reduzir a poluição e consequentemente o impacto ao meio ambiente através de novos processos e técnicas construtivas e materiais ecologicamente corretos?

Este é o tema que será abordado neste artigo, a sustentabilidade na construção civil ou simplesmente a construção sustentável.

Sustentabilidade

Hoje temos diversas opções de materiais que são biodegradáveis, que não poluem o meio ambiente, que não soltam nenhum tipo de elemento tóxico, etc.

No que diz respeito às construções, foram adotadas algumas formas de evitar o desperdício de materiais e sua reutilização, bem como os restos de materiais que podem servir para o aterramento ou o suporte de fundação na construção. A sustentabilidade não está apenas relacionada aos materiais, mas também ao conforto do usuário da edificação e o custo beneficio desta.

Segundo Lívia Ticone Nunes, “a construção se torna responsável quando assume a responsabilidade e o respeito com o meio ambiente”. Além de envolver materiais que sejam certificados e ecologicamente corretos, envolve uma construção sem agressão ao meio ambiente, desde o transporte dos materiais ao reuso do mesmo.

Lívia cita alguns tópicos que devem ser observados: Contribuir para criação de comunidades sustentáveis; maximizar o conforto ambiente; utilizar a energia e água de formas racionais; utilizar os recursos naturais de forma racional (materiais e resíduos); escolher materiais que sejam duráveis, e que possam ser reutilizados ou reciclados; e introduzir os conceitos de otimização da mobilidade. Seguindo esses passos, a construção pode ser considerada sustentável.

Construção Sustentável

De fato, como é possível começar uma construção sustentável?

Primeiro, é necessário analisar o entorno da construção. Essa deve se integrar ao espaço de forma harmônica, sem destoar dos tipos de construções existentes, sem usar materiais que não sejam locais. Visto isso, começar a procurar fornecedores de materiais próximos, que aliem preço a qualidade do produto, uma vez que quanto mais qualidade um produto tiver, menos manutenção será necessária no futuro.

Segundo, é importante um estudo preliminar de como serão descartados os materiais provenientes da construção, e se possível, como reutilizá-los. Este é o passo mais importante, pois é o que vai determinar o quanto de lixo vai ser jogado no meio ambiente. Se conseguirmos reutilizar mais materiais,  vamos poluir menos o mesmo.

Certificados Verdes

Se houver alguma dúvida de como construir um edifício sustentável, podemos utilizar como base a certificação norte americana Leed, que além de classificar um edifício em sustentável ou não, pode dar parâmetros de construção (Marques, 2007).

No Leed, existem vários pré-requisitos para a classificação do edifico, além de vários tipos de classificações, para vários tipos de construções. Se o profissional desejar, também é possível receber um certificado onde aponta que tipo de conhecimento o mesmo possui na área de construção verde.

No Brasil, já existem prédios que possuem essa certificação. Estamos em 4º colocados, segundo o site do Leed, no que diz respeito a edificações com esse certificado. Podemos entender que construtoras estão investindo em prédios com certificação sustentável.

Além do Leed, ainda existem outros certificados, como por exemplo o Aqua, que avalia o programa, desenvolvimento e capacitação do edifício, desde sua construção até seu funcionamento (é baseado na certificação francesa Dêmarche HQE); o Sustentax que atesta as conformidades dos procedimentos de desenvolvimento do projeto, seleção dos materiais e o comprometimento com práticas socioambientais corretas; o Procel Edifica que é apenas válido para edifícios públicos e avalia três pontos chaves: envoltória, iluminação e condicionamento de ar; além de muitos outros que existem no mundo todo.

Sempre que um projeto seguir a linha de sustentabilidade, é interessante ler o que classificaria um prédio em sustentável ou ecologicamente correto. Assim fica mais fácil desenvolver o projeto base e seguir diretrizes seguras, tornando a construção saudável.

A construção

Os primeiros passos citados, que são a localização do espaço para que o mesmo seja integrado com o entorno e que os seus materiais sejam locais, e um estudo do descarte e reuso dos materiais provenientes da construção.

Os próximos passos serão a construção em si, e a adequação do uso dos recursos naturais como água, energia solar, energia eólica, etc.

Com a construção precisamos nos preocupar em utilizar somente materiais ecologicamente corretos, que possam ser reciclados de alguma maneira. É essencial que seja gerado e descartado o mínimo possível de entulho. Em uma construção sustentável, o mais importante é preservar o meio ambiente.

A contratação dos funcionários da obra também é um ponto positivo nessa questão. Pois quanto menor a distância entre a residência do trabalhador até o local da obra, melhor. Isso significa que haverá menos emissão de CO2, pois o mesmo não precisará se locomover com veículos que emitem CO2, podendo locomover-se utilizando bicicletas, caminhando ou na pior das hipóteses, utilizando transporte de massa como ônibus, trem ou metrô; e menos cansaço físico do funcionário, que faz com que o mesmo trabalhe melhor e esteja mais disposto.

Além disso, o edifício ganha mais pontos positivos, caso tenha, por exemplo, um ponto de ônibus em uma distância menor que 400 metros deste local escolhido. Isso torna o transporte público acessível.

Outro ponto a ser observado, é se esta obra fica perto de equipamentos de serviços, como creches, mercados, farmácia, equipamentos esportivos, enfim, equipamentos que possam de alguma forma trazer mais qualidade de vida ao usuário. Isso evita que o deslocamento seja feito de carro, o que resulta na redução da emissão de CO2, e consequentemente na diminuição da poluição.

Os fornecedores de materiais de construção (depósitos) onde os materiais serão adquiridos, também devem estar preferencialmente próximos da obra, permitindo que os produtos sejam entregues de maneira eficiente, em poucas viagens, além de que os mesmos devem estar em ótimo estado de conservação quando chegarem, pois vai garantir desta maneira menor geração de entulhos na obra.

A construção pode ser elevada em pilotis (pilares de concreto armado que sustentam a construção), para que se preserve algum espaço verde já existente ou se houver algum subsolo o mesmo ser usado. Assim evita que os espaços naturais sejam descartados.

A posição da edificação em relação ao Sol deve ser bastante observada, uma vez que o excesso ou a falta do mesmo possam causar algum tipo de desconforto ao usuário. Por isso deve haver um equilíbrio, onde a construção seja localizada num ponto estratégico que bata Sol, porém não incomode o morador.

Programa de Necessidades

O programa de necessidades é o que determina o uso e o usuário de um edifício. No caso deste artigo, o programa de necessidades será direcionado a uma residência unifamiliar.

Como dito anteriormente, a escolha de um terreno onde existem vários tipos de serviço, ajuda a diminuir a emissão de gases poluentes, uma vez que a pessoa não precisa andar de carro para todos os lugares que vai.

Não existe um programa de necessidades certo para cada terreno em si, mas, é bem importante fazer um estudo sócio ambiental antes de começar o projeto. Não adianta, por exemplo, construir um edifício de apartamentos residenciais em um bairro onde só existam casas unifamiliares, isso pode causar um grande transtorno aos moradores, além da mudança do transito, do ambiente, até mesmo da insolação, pois um edifício muito grande pode atrapalhar a passagem do Sol até às casa mais baixas.

O programa de necessidades deve prever reduzir ao máximo o impacto que a construção pode causar, propondo soluções adequadas ao local.

E após verificados esses passos, podemos começar a elaborar o projeto e construir.

Fontes:
COUNCIL, US Green Building. Infografic: Leed in the world. USGBC , 03 de Maio de 2013. Disponível em: http://www.usgbc.org/articles/infographic-leed-world. Acesso em: 15/05/2013 às 10:46.
COELHO, Laurimar. Projetos – Certificação Ambiental. Revista Téchne , Fevereiro de 2010. Edição 155. Disponível em: http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/155/artigo162886-1.asp. Acesso em: 13/05/2013 às 15:06.
JOURDA, Françoise Hélene. Pequeno Manual do Projeto Sustentável. 2013. p. 1 – 30. Editora G. Gili. São Paulo, São Paulo, 2009.
UNIDAS, Organização das Nações. A ONU e as mudanças climáticas. Nações Unidas Brasil , 2013. Disponível em: http://www.onu.org.br/a-onu-em-acao/a-onu-em-acao/a-onu-e-as-mudancas-climaticas/. Acesso em: 24/04/2013 às 13:58.


Artigo de Mariana Burger Demola, Arquiteta e Urbanista.

Mariana Demola - Arquiteta e Urbanista

Share

Uma resposta para Construção Sustentável

  • Leandro dos Santos

    Mais do que nunca está na moda ser sustentável. Porquê? Pelo simples fato que devemos cuidar do nosso planeta, afinal, até então, ele é único! É fato consumado que não há, pelo menos nas próximas décadas, previsão de o homem encontrar outro planeta com as mesmas condições que permitam o desenvolvimento da vida como a Terra, sendo ainda mais remota a possibilidade de viajar até tal planeta, se encontrado.

    É muito importante, não só construir de forma sustentável, mas viver de forma sustentável. É importante repassar às próximas gerações a importância de não consumir recursos além do necessário, de não contaminarmos o solo, as águas, o meio ambiente como um todo.

    Dependemos da água doce, potável, escassa e valiosa para viver, para beber, plantar, banhar-se, ela é fundamental. Dependemos do ar puro. Dependemos do solo limpo para plantarmos, para vivermos!

    Ótimo artigo, cara parceira Mariana Demola, Arquiteta e Urbanista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − 19 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Conteúdo relacionado
Publicidade
Líder Locações
Enquetes

O que mais impacta a construção civil?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Conheça também:
Terraplenagem.Net Escavadeira . Net Retroescavadeira . Net